domingo, 27 de setembro de 2009

PED - 2009 / MANIFESTO DE LANÇAMENTO DE JOSÉ EDUARDO CARDOZO PRESIDENTE NACIONAL DO PT:

O Partido dos Trabalhadores fará 30 anos no próximo dia dez de fevereiro de 2010. O partido socialista e democrático construído a partir das lutas populares, das assembléias de trabalhadores por liberdade e autonomia sindical, das grandes greves, das manifestações contra a carestia de vida e das lutas por saúde, educação, moradia, transportes, das marchas pela Reforma Agrária, das gigantescas mobilizações pelas “Diretas Já!”, completa três décadas. Sob fogo cerrado dos defensores duma das mais desiguais sociedades do mundo.O Partido dos Trabalhadores fixou raízes no coração do nosso povo. Construiu-se de baixo para cima, num país em que a ação política sempre fora privilégio de poucos. Fortaleceu-se no combate às clamorosas desigualdades sociais, pelas liberdades públicas, pela radicalização da democracia, pelo socialismo democrático. Deu a palavra aos construtores quotidianos da riqueza, ao povo da margem, pela voz de um dos seus filhos: Luiz Inácio Lula da Silva. E, em 2002, afirmou-se como a expressão política de vastos setores populares para afirmar: que este país não tem mais donos, que este será um país de todos!O Partido dos Trabalhadores no governo realizou ações básicas que o povo brasileiro esperava: desenvolvimento com distribuição de renda, mais democracia, soberania nacional. É o partido hegemônico que governa o Brasil. Defende o governo e mantém sua autonomia. Em 2010 travará mais uma grande batalha para acrescentar uma grande vitória a tantas de sua história, para prosseguir a revolução democrática que empreende com a força da maioria de nosso povo.O Partido dos Trabalhadores construiu arduamente sua democracia interna. Ao nascer enfrentou as leis eleitorais restritivas impostas pela Ditadura Militar. Ao longo dessas três décadas, estabeleceu o direito de livre organização de tendências; a proporcionalidade de representação nas direções; a cota de 30% de representação das mulheres; as eleições diretas para todos os níveis de direção. Só um partido com arraigadas convicções libertárias poderia fazê-lo.Não foram poucos os percalços que enfrentamos nesta caminhada. Vários foram os erros cometidos ao longo destes 30 anos, mas apesar deles o Partido dos Trabalhadores se afirma como um partido socialista e democrático, capaz de encarar seus erros e deles extrair as lições necessárias para consolidar-se como expressão política a serviço dos interesses populares e enfrentar os desafios de continuar dirigindo o país. A aprovação do Código de Ética significa a expressão do compromisso dos militantes e dirigentes do PT com os princípios democráticos e republicanos que devem fundamentar nossa prática e nossa cultura política.A Mensagem ao Partido apresenta o companheiro JOSÉ EDUARDO CARDOZO à Presidência do Partido dos Trabalhadores no PED de 2009. Acreditamos que ele encarna a trajetória de trinta anos de lutas pela construção e consolidação desse instrumento de transformação da sociedade brasileira: o PT. O compromisso de JOSÉ EDUARDO CARDOZO é expresso por sua militância no PT desde jovem estudante, pelo papel destacado que teve na primeira administração do PT na Prefeitura de São Paulo a partir de 1989, pelos mandatos legislativos que exerceu como vereador e exerce como deputado federal com abnegação e competência; O PAPEL POR ELE DESEMPENHADO NA ELABORAÇÃO E APROVAÇÃO DO CÓDIGO DE ÉTICA DO PARTIDO, e o desempenho, como Secretário Geral Nacional, em diálogo permanente com as diferentes posições representadas na Comissão Executiva Nacional, habilitam-no à disputa democrática que abrimos com o PED. O companheiro JOSÉ EDUARDO CARDOZO reúne as qualidades necessárias para liderar o Partido dos Trabalhadores no novo ciclo que se abre em 2010. E enfrentar os desafios mais urgentes e necessários: realizar o balanço de três décadas de lutas que deram um poderoso impulso transformador à sociedade brasileira. Que abriram uma generosa perspectiva de combate às injustiças e desigualdades sociais, de gênero e de raça. Que reafirmaram a noção da sustentabilidade socioambiental à cultura do novo ciclo de desenvolvimento. E projetar as tarefas de um partido socialista e democrático, contemporâneo do século XXI. Um partido que atue na complexa disputa sobre os rumos do país para dar sustentação ao novo governo que consolidará as conquistas do governo Lula. E travar a batalha contra os setores conservadores como portador de um projeto de nação identificado com os interesses populares: aprofundar as conquistas democráticas; combater as desigualdades sociais, regionais, de gênero e de raça; incorporar a sustentabilidade socioambiental à concepção do desenvolvimento brasileiro do século XXI; afirmar a soberania nacional e a integração solidária e ativa do Brasil na América Latina e no mundo. Brasília, 16 de setembro de 2009.

Nenhum comentário: