sábado, 13 de fevereiro de 2010

Movimento Solidariedade: 1 ano de existência:

Entrevista com Nonato Guimarães, fundador do movimento.
Nas últimas eleições municipais de 2008, finquei pé no acompanhamento eleitoral de Santa Luzia do Pará. Preocupado com a polarização com os adversários do Prefeito Louro e do PT, acertei na opção e na prioridade, vencemos as eleições de forma muito apertada, mas vencemos. No decorrer daquele acontecimento, no calor da disputa e da polarização vi meu nome ser lembrado por diversas lideranças locais, lembrando de que eu poderia ser novamente deputado estadual, confesso que me animei inicialmente com aquela idéia.
Passado a eleição percorri uma dezena de municípios consultando algumas lideranças políticas que caminharam comigo nos últimos 20 anos próximos de minha ação militante no PT. Ouvi muito incentivo, mas também ouvi muito não, alguns até desanimadores e confesso fiquei triste como militante. Já em dezembro de 2008 era forte a possibilidade de organizarmos um movimento chamado Solidariedade.
Continuei até em Janeiro a peregrinação em busca de incentivo e apoio a minha possível candidatura a deputado. Os apoios que foram surgindo eram bem maiores do que àqueles que não se dispunham a nos acompanhar. No dia 12 de fevereiro de 2009 na Cidade de Irituia, na sede do Sindicato dos Trabalhadores Rurais, fizemos uma Assembléia Regional com a participação de 60 lideranças políticas, na oportunidade foi fundado o MOVIMENTO SOLIDARIEDADE.
Nascemos da resistência e do questionamento a diversas práticas eleitoreiras e até mesmo o mandonismo e personalismo dos mandatos parlamentares e outros cargos eletivos. Muitos companheiros insatisfeitos por serem isolados após eleições, outros por questionarem o estrelismo das lideranças políticas, outros ainda por questionarem o distanciamento destas lideranças das bases políticas e outras que sonhavam e sonham com ferramentas de lutas que oportunizem formação política e lutas que ajudem a melhorar a qualidade de vida de nossa gente.
Este debate nos fez compreender que muito mais importante do que lançar em nosso nascedouro uma candidatura a deputado estadual, era organizar o nosso Movimento Solidariedade. Recuamos com este pensamento e este raciocínio estratégico, de organizar nos municípios e nas bases o nosso Movimento. Defrontamos-nos de imediato com as eleições diretas do PT, o PED. Neste meio tempo fomos nos articular com o CNB – campo do PT Construindo o Novo Brasil, entretanto não obtivemos êxito e nem fomos incentivados com o calor dos parceiros, na verdade não fomos bem vindos, afinal a maioria de nós vinha de uma ruptura com a Tendência Articulação Socialista.
Foi lá pelos meados de maio que conversamos com o Secretário Cláudio Puty e alguns companheiros da Tendência Democracia Socialista DS. Fomos convidados a conhecer o campo MENSAGEM AO PARTIDO, fomos a Brasília, eu e Marcelo Bastos, reunimos com Soriano e Hamilton Pereira, na oportunidade o Prefeito Louro estava presente num almoço, onde foi consagrado nossa nova relação política nacional e estadual, passamos a fazer parte da tendência Mensagem ao Partido.
Vivemos momentos difíceis, pressões, perseguições, fruto de nossa própria história e do tamanho que é o PT Brasil. Somos grandes, temos a maior liderança política do País e uma das expressões mais respeitadas do mundo, o Presidente Lula. Práticas combatidas por nós, fisiológicas e até mesmo resultado de nosso aprendizado marxista, maoísta, leninista, comunista ou socialista, às vezes as práticas autoritárias de Stalin, ou qualquer outro ditador se fazem presente em nossas decisões. Vivemos a resposta a nossa audácia, a nossa coragem, de romper com estruturas consolidadas e poderosas, e ter a coragem de construir um novo projeto uma nova perspectiva.
O resultado do PED desnudou as contradições e marcou a posição de que nas disputas internas do PT, existe o Movimento Solidariedade, que em apenas um ano de existência já atua numa dezena de municípios e acompanha alguns coletivos locais que vão se construindo, somos mais de 1.000 filiados e muito mais de 2.000 simpatizantes espalhados pelo Estado do Pará e com contatos noutros estados do Brasil.
Um ano de vida, nossos PARFABÉNS a cada um de nós que acreditou e teve a coragem de construir o que é hoje o MOVIMENTO SOLIDARIEDADE. Nosso calendário e agenda de fevereiro é reunir com nossos coletivos municipais e no próximo dia 06 DE MARÇO vamos fazer nossos segundo encontro estadual e fundar o INSTITUTO SOLIDARIEDADE.
Nonato Guimarães – Coordenador Estadual do Movimento Solidariedade.

Um comentário:

BLOG DO CLAUDIO YOSHI disse...

Já linkei seu blog, vou deixar meu contato pra você me linkar também em seu blog: http://blogdoclaudioyoshi.blogspot.com/