terça-feira, 25 de maio de 2010

Ana Júlia diz que aprovação do empréstimo do BNDES é vitória do povo.

A aprovação deste empréstimo, que é destinado a compensar as perdas de arrecadação decorrentes da crise mundial, é mais do que uma vitória do governo; é uma vitória do povo do Pará”, afirmou na tarde desta terça-feira (25), a governadora Ana Júlia Carepa, após a aprovação pela Assembleia Legislativa da autorização para que o Executivo efetue empréstimo, no valor de R$ 366,7 milhões, no Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).
“Os municípios serão os grandes beneficiados, pois a eles será destinada uma grande parcela dos recursos, cerca da metade deles, para obras que vão melhorar o abastecimento de água e a mobilidade urbana, através da pavimentação de vias, praças e etc.”, ressaltou a governadora, acrescentando que o governo do Estado vai “utilizar estes recursos para retomar as obras que estão paralisadas em função da perda da arrecadação, e que são importantes para o desenvolvimento do Estado”.
Quarenta deputados participaram da sessão ordinária que aprovou o Projeto de Lei nº 259/2009, enviado ao Parlamento pelo Executivo em 2009. A votação começou após as 13h, depois da manifestação de vários deputados.
A nova redação do Projeto de Lei 259 destina 51% dos recursos aos municípios paraenses, 33% para despesas de capital, 4,5% para livre aplicação pelo governo e 11.5% para aplicação, em valores iguais, nas emendas parlamentares.
Os recursos fazem parte do Programa Emergencial de Financiamento aos Estados, do BNDES, e serão utilizados em obras de infraestrutura e despesas de capital, completando investimentos que o Estado vem fazendo em obras e serviços, com recursos próprios.
Acordo - O chefe da Casa Civil, Everaldo Martins, acompanhou todo o processo de discussão e votação do PL 259. Após recesso de uma hora, os deputados retomaram os trabalhos e votaram emendas, apresentadas por eles no plenário, fruto de um grande acordo entre governo, base aliada e partidos de oposição. Dos 33% destinados a despesas de capital, o governo acatou emendas que serão aplicadas em vários municípios.
Em conversa com a imprensa após a sessão, que encerrou por volta de 15h45, Everaldo Martins agradeceu a todos que se empenharam para a aprovação do empréstimo. "Quero cumprimentar o presidente do PMDB, Jader Barbalho, da Assembleia, Domingos Juvenil, e a todos os deputados que ajudaram a aprovar o empréstimo. A vitoriosa é a governadora Ana Júlia Carepa, que vai saber aplicar estes recursos. Agora vamos cuidar dos prazos com o BNDES", declarou.

sábado, 22 de maio de 2010

DataFolha entrega os pontos de Dilma.

Não deu mais pra segurar. O Datafolha teve de curvar-se à realidade apontada pelos demais institutos e admitir que existe empate entre os principais candidatos à presidência. A pesquisa, publicada hoje pela Folha, aponta 37% para Serra e Dilma. Basta olhar o gráfico ao lado que se verifica que, as linhas recuperam a tendência que tinham até o final de fevereiro, quando – “de repente, não mais que derrepente” – apareceu uma misteriosa vantagem de 10 pontos para Serra.
O fato do Datafolha ter, finalmente, “entregado os pontos” à ascensão de Dilma – que, é claro, foi atribuída ao programa do PT na televisão – não se explica apenas pela exibição do programa nacional do PT, tal como querem fazer crer. A exposição de Dilma não justifica Serra ter perdido cinco pontos. Só se perdeu o que nunca teve.
O empate que se aponta na pesquisa estimulada do Datafolha, e o próprio instituto sabe disso, só mascara a realidade de que quanto mais há informação, mais aumenta a preferência por Dilma. Por isso a direita joga tudo na inglória batalha para que o Presidente nem sequer possa pronunciar o nome Dilma Rousseff.

domingo, 16 de maio de 2010

Governadora Ana Julia Entrega Máquinas e Inaugura 2ª etapa do calçadão de Santa Luzia do Pará.

Eram 12 horas do dia 15 de maio, quando a Governadora  Ana Júlia Carepa, pousou em Santa Luzia do Pará, e logo em sua chegada pode sentir bem de perto o calor da população Luziense e a aprovação de sua gestão pelos moradores da Cidade Morena .
Uma grande  quantidade de carros,  motos, ciclistas e pedestres   participaram da grande carreata de boas vindas a Governadora do Pará, tomando completamente a BR 316, a final de contas nunca na historia deste município um Governador(a), esteve tantas vezes, seja anunciando ou inaugurando obras em solo Luziense.
Após inaugurar com o prefeito Lourival Fernandes, a segunda etapa do Calçadão de todos, a governadora participou da solenidade de entrega da patrulha mecanizada que conta com 2 caçambas, 1 patrol e um trator de pneu.
O evento que contou com cerca de 2.000 pessoas, teve a participação de diversas lideranças politicas da região,  com destaque para os deputados estaduais Valdir Ganzer e Carlos Bordalo, além do prefeito Evaldo Cunha de Ipixuna do Pará.

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Senadora Kátia Abreu opera por debaixo dos panos contra índices de produtividade.

De um lado, a Confederação Nacional da Agricultura (CNA), liderada por Kátia Abreu (DEM-TO), pressiona o governo federal para que a lei seja desrespeitada e os índices de produtividade não sejam atualizados.
Por outro, os ruralistas tentam mudar os critérios de alteração dos índices por meio de articulação no Congresso Nacional, em uma manobra por debaixo dos panos, sem acompanhamento da sociedade nem divulgação na imprensa.
Nesta semana, na Comissão de Agricultura e Reforma Agrária do Senado, a senadora Kátia Abreu tentará aprovar dentro do substitutivo do projeto de lei 325/06, que dispõe sobre o Estatuto do Produtor Rural, a retirada do Grau de Utilização da Terra (GUT), relacionado à ocupação da área, dos parâmetros que determinam a produtividade de uma propriedade rural.
Atualmente, considera-se propriedade produtiva uma área que, explorada econômica e racionalmente, atinge simultaneamente o GUT e o Grau de Eficiência da Exploração (GEE), referente à produtividade física propriamente dita.
De acordo com a proposta da senadora e presidente da CNA, somente o grau de eficiência deve ser considerado e alterado periodicamente, levando em conta a evolução tecnológica, os custos de produção e o nível de renda do produtor rural.
“A exploração econômica e racional da terra pressupõe que os lucros e prejuízos do produtor sejam igualmente avalizados e medidos. A economia agrícola é uma economia de mercado", diz Kátia Abreu no substitutivo.
Função social
Desse ponto de vista, os latifundiários poderiam deixar suas fazendas sem utilização para evitar queda nos lucros. A Constituição de 1988 determina que essas áreas sejam destinadas para a Reforma Agrária, porque não cumpriria a sua função social.
Para a senadora Serys Slhessarenko (PT-MT), Kátia Abreu quer derrubar o conceito constitucional de função social da terra que, além da produtividade, determina que haja a utilização adequada dos recursos naturais existentes e preservação do meio ambiente, além do respeito às disposições que regulam as relações de trabalho e exploração da propriedade.
“A avaliação passaria pela renda produzida pela propriedade, independente do tamanho e da sua utilização. Isso é um absurdo. Mais uma vez, a senadora tenta acabar com aqueles que realmente produzem a alimentação do povo brasileiro”, explica.
A atualização dos índices de produtividade do campo está prevista na Lei Agrária de 1993, por determinação da Constituição. A revisão da tabela é uma reivindicação dos movimentos sociais e sindicais do campo, uma vez que não há alteração desde o censo agropecuário de 1975.
Em agosto passado, o governo Lula estabeleceu um prazo de 15 dias para concretizar a ação. Os ruralistas reagiram, criando uma CPMI contra a Reforma Agrária e impedindo a assinatura de Reinhold Stephanes (PMDB-PR), ministro do Agricultura, Pecuária e Abastecimento até março deste ano, quando saiu do governo para disputar a eleição para a Câmara dos Deputados. Para fazer a atualização, é necessária a assinatura do ministro da Agricultura e do ministro do Desenvolvimento Agrário.

Aniversário do Vereador de Belém, Adalberto Aguiar - PT.

terça-feira, 11 de maio de 2010

Ana Júlia inaugura ponte em São Félix do Xingu.

A governadora Ana Júlia Carepa inaugurou em São Felix do Xingu, no sábado, 8, a ponte sobre o Rio Fresco, dando fim à longa espera de moradores e trabalhadores para atravessar o rio de balsa ou voadeiras. "Trouxemos mais dignidade para esse povo lutador, garantindo o direito de ir e vir da população", disse a governadora Ana Júlia, enquanto descerrava a placa de inauguração da ponte, com 480,66 metros de extensão sobre o rio, e mais um quilômetro de aterramento nas cabeceiras da ponte.
O projeto inicial inadequado teve que ser revisto pelo Governo Popular, que garantiu a travessia pela ponte e a navegabilidade do rio Fresco, com um vão de 30 metros de altura, conforme explicou o secretário de Estado de Transportes, Moisés dos Santos.
"A ponte foi uma grande conquista alcançada hoje, depois de mais de vinte anos de luta", reconheceu o prefeito Antônio Levino. "Parabenizo a senhora por respeitar nosso pedido de deixar a ponte funcionando, mesmo antes da inauguração oficial, o que alegrou em muito nossos moradores", relatou Levino, que percorreu com a governadora alguns trechos da ponte.

Declaração dos Deputados sobre Santa Luzia do Pará.

Somos conhecedores de que muito ainda falta  ser feito em nossa cidade morena, no entanto, diáriamente o Governo Solidário de Lourival Fernandes, recebe sistematicos ataques e acusações infundadas nos blogs da oposição, criados para serem porta vozes dos que ja estiveram a frente da administração de Santa Luzia do Pará, com oportunidade de fazer tudo aquilo que hoje estão cobrando da administração Petista. Na verdade estão com muito ódio em seus corações pois todos os previlégios do passado transformaram-se em serviços e ações desenvolvidas pelo Goveno Solidário, favorecendo a população mais carente de Santa Luzia.
É neste sentido, que os deputados Carlos Bordalo e Beto Faro demonstram suas opiniões em relação a atual gestão Luziense.

Ana Júlia entrega máquinas, obras e serviços a mais 3 municípios no Araguaia.

Tucumã, Ourilândia do Norte e Água Azul do Norte, na região do Araguaia, receberam a visita da governadora Ana Júlia, na sexta-feira e no sábado (7 e 8), e receberam kits de patrulhas mecanizadas (pá carregadeira, motoniveladora, caminhão basculante e trator de pneu), além de obras e serviços do governo.
Os equipamentos fazem parte da frota de 503 máquinas compradas pelo Governo Popular com os R$ 140 milhões do Banco Nacional de Desenvolvimento Social e Econômico (BNDES), que serão entregues aos 143 municípios para a recuperação e manutenção de estradas e vicinais.
Presente - Em Tucumã, a entrega foi feita ao prefeito Celso Lopes no dia do aniversário de emancipação do município, em meio a uma festa que reuniu mais de 10 mil pessoas. A governadora falou sobre o empréstimo de 366 milhões de reais do BNDES, cujo projeto de autorização tramita na Assembléia Legislativa e que reserva 43% do total de recursos aos municípios.
Ela disse também que as operações de exploração do níquel de Onça Puma, em Ourilândia, garantirá desenvolvimento a toda a região da PA-279, um salto para a economia do Pará, potencializado pelos investimentos públicos e privados no Estado de R$ 109 bilhões entre 2011 e 2014.
Ana Júlia mencionou como exemplos as duas siderúrgicas de aço em Marabá, o investimento na construção e revitalização em distritos industriais, os Parques de Ciência e Tecnologia, a regularização fundiária, o Cadastro Ambiental Rural e o fim do embargo à carne paraense.

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Lula e Ana Júlia lançam no Pará o maior polo de produção de biodiesel do mundo.


As regiões Tocantins, Capim e Guamá, no Pará, serão o maior polo produtor de óleo de palma do mundo. Tomé-Açu é o epicentro desse polo. É a capital da bioenergia sustentável. É lá que nesta quinta-feira, 6, o presidente Lula e a governadora Ana Júlia Carepa lançarão o Programa Nacional de Óleo de Palma, que prevê a produção de biocombustível pela Petrobrás a partir do óleo de palma ou dendê (Elaeis guineensis).
Baseado na agricultura familiar, o Programa vai garantir energia sustentável para a Amazônia e o País. Trata-se de uma iniciativa do Governo Federal, em parceria com o Governo Popular, para incentivar a produção de biodiesel a partir de diferentes fontes oleaginosas e em regiões diversas, com garantia de preços competitivos, qualidade e suprimento, promovendo a inclusão social.
Quarenta e quatro municípios das duas regiões serão beneficiados, somando uma população total de mais de 1,8 milhão de habitantes. A estimativa é de um investimento de R$ 1,1 bilhão em cinco anos. Hoje o Pará tem 80 mil hectares de área plantada e até 2014 a intenção é atingir 130 mil hectares. São nove plantas industriais e o objetivo é ampliar para 12 em cinco anos, com 4.700 empregos diretos hoje e meta de 15 mil em quatro anos. São 900 parceiros na agricultura familiar e 300 médios e grandes produtores, com meta de se chegar a 13 mil e 14.500, respectivamente, até 2014.
O programa já abriu linha de crédito para o dendê, pelo Pronap-Flora e Prop-Flora, capacitou 120 técnicos para dar assistência aos produtores; investiu em melhoramento genético e produção de sementes, garantindo R$ 60 milhões para instalar uma unidade da Embrapa voltada ao cultivo do dendê; instalou câmara setorial como espaço permanente de diálogo e construção da cadeia de dendê; promoveu seminário internacional para debater boas práticas, gargalos e potencialidades e criou o ZEE Agroecológico, para garantir crédito e seguro rural.

sábado, 1 de maio de 2010

A história do 1º de Maio.


Em 1886, realizou-se uma manifestação de trabalhadores nas ruas de Chicago nos Estados Unidos.

Essa manifestação tinha como finalidade reivindicar a redução da jornada de trabalho para 8 horas diárias e teve a participação de milhares de pessoas. Nesse dia teve início uma greve geral nos EUA . No dia 3 de Maio houve um pequeno levantamento que acabou com uma escaramuça com a polícia e com a morte de alguns manifestantes. No dia seguinte, 4 de Maio, uma nova manifestação foi organizada como protesto pelos acontecimentos dos dias anteriores, tendo terminado com o lançamento de uma bomba por desconhecidos para o meio dos policiais que começavam a dispersar os manifestantes, matando sete agentes. A polícia abriu então fogo sobre a multidão, matando doze pessoas e ferindo dezenas. Estes acontecimentos passaram a ser conhecidos como a Revolta de Havmarket.

Três anos mais tarde, a 20 de Junho de 1889, a segunda Internacional Socialista reunida em Paris decidiu por proposta de Raymond Lavigne convocar anualmente uma manifestação com o objectivo de lutar pelas 8 horas de trabalho diário. A data escolhida foi o 1º de Maio, como homenagem às lutas sindicais de Chicago. Em 1 de Maio de 1891 uma manifestação no norte de França é dispersada pela polícia resultando na morte de dez manifestantes. Esse novo drama serve para reforçar o dia como um dia de luta dos trabalhadores e meses depois a Internacional Socialista de Bruxelas proclama esse dia como dia internacional de reivindicação de condições laborais.

Em 23 de Abril de 1919 o Senado Francês ratifica o dia de 8 horas e proclama o dia 1 de Maio desse ano dia feriado. Em 1920 a Rússia adota o 1º de Maio como feriado nacional, e este exemplo é seguido por muitos outro países. Apesar de até hoje os estadunidenses se negarem a reconhecer essa data como sendo o Dia do Trabalhador, em 1890 a luta dos trabalhadores estadunidenses conseguiu que o Congresso aprovasse que a jornada de trabalho fosse reduzida de 16 para 8 horas diárias.

Lula destaca conquistas no Dia do Trabalho.

Em seu primeiro discurso neste 1º. de maio, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez um balanço de sete anos de governo, destacando as principais conquistas. O presidente disse esperar que o povo brasileiro continue a apostar em um programa de governo que favoreça as classes menos favorecidas.
Lula disse que os ricos ganharam por mais de cinco séculos no Brasil, mas agora é a vez dos mais pobres.
Acompanhado da pré-candidata do Partido dos Trabalhadores (PT) à corrida presidencial, Dilma Rousseff, Lula participou da festa comemorativa do 1º de maio organizada pela Força Sindical e pela Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB), em São Paulo.
Lula e Dilma são esperados em outros três eventos sindicais neste sábado, Dia do Trabalho.