terça-feira, 20 de julho de 2010

Dilma condena Serra por surrupiar de Jamil Haddad a autoria dos Genéricos.

Dilma Rousseff (PT) participou do seminário “Brasil: desenvolvimento e inclusão social”, organizado pelo PSB, em Brasília.

Lá, Dilma recebeu as propostas do partido para o programa de governo.

“Este documento é a compilação de todos os debates regionais, dos encontros da sociedade civil com a política” - disse Eduardo Campos, presidente do PSB Nacional e governador de Pernambuco.

Jamil Haddad, o verdadeiro pai dos genéricos

Dilma fez questão de lembrar um ilustre quadro histórico do PSB, falecido em dezembro do ano passado. O ex-ministro da Saúde, Jamil Haddad, o verdadeiro pai dos remédios genéricos, com o decreto-lei 793, de 1993, muitos anos antes de Serra ser ministro da Saúde, e antes mesmo de FHC ser eleito (conheça a verdade da história nesta nota aqui).

Haddad sofreu a injustiça de ver seu programa ter a autoria "roubada" por José Serra (PSDB/SP), mediante propaganda maciça e versões mentirosas na imprensa e do próprio Serra, assim como ele fez com o FAT, surrupiando projetos alheios.

Então Dilma fez a justa homenagem:

“Gostaria de ressaltar também a importância de Jamil Haddad, que possibilitou a fabricação de genéricos no Brasil. Precisamos dar a autoria do programa a quem é de direito”.

Diferente de Serra que escolheu o caminho de fazer uma campanha de baixarias, Dilma discursou falando das propostas e projetos para o Brasil, como:

- valorização dos professores e “não recebê-los com bordoadas”;
- os investimentos em infra-estrutura e empregos a serem gerados no próximo governo com o Pré-sal, o PAC 2, a Copa de 2014 no Brasil, as Olimpíadas de 2016 no Rio.

Nenhum comentário: