domingo, 27 de fevereiro de 2011

Puty é meu amigo, mexeu com ele, mexeu comigo

Recado ao Diário do Pará:
Viemos a publico demonstrar toda nossa revolta e indignação com o Jornal Diário do Pará que vêm sistematicamente tentando denegrir a imagem do companheiro Cláudio Puty, deputado Federal pelo PT / Pará com mais de 120.000 votos, ou seja 120.000 pessoas que devem fazer um embargo ao referido jornal que  tenta induzir seus leitores que Puty estaria envolvido a supostos esquemas de sonegação fiscal e tráfico de influência.
Neste exato momento, o Deputado Federal, posicionou-se eu seu blog particular, conforme transcrição abaixo:
Por: Cláudio Puty

Quem deve, teme...

Na linha de ataque sistemático e infundado à minha pessoa, o jornal Diário do Pará de hoje abre como manchete de capa: Influência de poder/ Dossiê revela fraudes na Sefa. E na página 4, com base num dossiê, o jornal constrói uma matéria indutiva para que o leitor conclua meu envolvimento no presumível esquema de sonegação fiscal. Na embolada, o prefeito de Parauapebas e o grupo Leolar.


O tal dossiê não aparece na “reportagem” de uma página. O que a "reportagem" não diz é que até 2008, o chefe de Fiscalização da Sefa em Marabá era o irmão da deputada Simone Morgado, integrante da família Barbalho.

O jornal diz que tentou entrar em contato comigo, mas não conseguiu. No meu celular não consta nenhuma chamada do Jornal Diário do Pará. E a assessoria de imprensa do meu mandato não foi contatada, como seria o lógico.

Vou processar o jornal por mais essa calúnia e difamação que é recorrente contra a minha pessoa. Não tenho ficha corrida na polícia, nem processo penal. E ao contrário do chefe dessa máfia de comunicação local, fui secretário de Estado no governo Ana Júlia, do PT, e não saí do governo com rádio, TV, jornal embaixo do braço. Tampouco fui forçado a renunciar para não ser cassado e meu nome não é sinônimo de corrupção no Pará e no Brasil inteiro.

Não devo. Logo, não temo.

Já quem deve, teme. E por isso, talvez, tente tirar suas manchas e transferi-las pra mim. Em vão. Vou continuar firme meu trabalho como deputado federal e agora presidente da Comissão de Finanças e Tributação da Câmara. 
Lia mais no Blog do Puty.

2 comentários:

editor disse...

Engraçado a família Barbalho, assumir o comando da guerra do PSDB contra o Governo do PT e da Governadora Ana Júlia. Está claro que todo parto é doloroso, pois nasce no Pará e no PT uma nova liderança,está aí a atuação do Deputado Puty, aparecendo todos os dias ou no Pequeno ou no Grande Espediente da Câmara Federal, defendendo o povo do Pará e do Brasil, denunciando o que Eles querem fazer com o BANPARÁ, defendendo a PEC dos ACS, defendendo e buscando a instalaçãi da CPI contra o Trabalho escravo, etc. Acho até que os Barbalhos e seus asseclas estão com medo de descobrirem que têm trabalho escravo em suas fazendas, ou quem sabe tá com medo de descobrirem suas falcatruas no BANPARÁ ou na SUDAM tá na hora de acabarmos com as proezas destes crápulas, o novo milênio não cabe mais olifarquias travestidas de democratas, vamos juntar as vozesm os blogs, emails, malas diretas, rádios comunitárias, tudo que temos direito, defender a nova voz da esquerda no Pará, e viva o socialismo...

Anônimo disse...

De acordo com o ECA (Lei N° 8.069/1990)- Art.131° “encarregado pela sociedade de zelar pelo cumprimento dos direitos da criança e do adolescente”. Preconiza no Artig.133° “Para candidatura a membro do Conselho Tutelar serão exigidos os seguintes requisitos: “reconhecida idoneidade moral,..”.Pois bem, quero refletir com as pessoas que lerem este panfleto, o nome da candidata RYCHELLE R. MACEDO PANTOJA, que destruiu uma família, quando envolveu-se com homem casado, mesmo sabendo.Que qualidade tem para desenvolver uma atividade que envolve a vara da família? Que ética e moral esta cidadã terá para defender a comunidade e acompanhar as famílias, que na maioria encontram-se desestruturas, principalmente por este motivo?
Estamos fartos de pessoas e políticos hipócritas, mentirosos, que na maioria envolvem-se nesses pleitos, não pelo compromisso com a sociedade, muitas vezes, como cabide de emprego ou intenção política partidária.
Fique de olho! Fique alerta! Isso é perigoso para a democracia e para as famílias de bem.